A oleosidade no cabelo é a vilã dos fios?

Compartilhar
A oleosidade no cabelo é a vilã dos fios?

A oleosidade no cabelo pode ser uma daquelas vilãs de novelas para algumas pessoas, mas você sabia que ela na verdade nem é tão má assim?

A produção de óleo no couro cabeludo é um processo natural do nosso organismo e tem a sua função. O problema acontece quando essa produção fica desequilibrada. E aí sim, a oleosidade pode ser um problema.

Pois é! Vem cá que vamos te explicar tudo sobre oleosidade no cabelo!

A importância da oleosidade no cabelo

A oleosidade é produzida pelas glândulas sebáceas, que ficam em nosso couro cabeludo e sim: todos nós a produzimos. E surpresa: ela é ótima!

Ao contrário do que muitas pessoas pensam, a oleosidade também pode ser a mocinha dessa novela capilar, pois ela é a proteção que nós precisamos para manter os fios saudáveis e bonitos.

O óleo produzido tem como função nutrir o couro cabeludo e os fios. Além disso, ele “escorre” do couro cabeludo para o comprimento e pontas dos cabelos, formando uma espécie de capa no fio que reduz a perda de água e nutrientes e ainda protege contra os danos causados pela exposição a agentes externos, como sol, poluição, procedimentos químicos e o calor excessivo do secador, chapinha, modeladores, entre outros. Viu como a oleosidade não é uma vilã?

Como dissemos no início deste artigo, o problema está no desequilíbrio. Produzir menos ou mais oleosidade do que o necessário pode deixar o cabelo seco ou oleoso demais e isso pode ser o start para o surgimento de alguns problemas capilares. Vamos explicar melhor a seguir.

Diferenças de couro cabeludo

Como falamos, a oleosidade é produzida em nosso couro cabeludo e isso pode determinar a condição do nosso cabelo. Olha só.

Cabelos secos

Os cabelos secos são aqueles que têm deficiência de oleosidade, ou seja: as glândulas sebáceas não produzem quantidade suficiente de óleo para os fios. Por isso, esse cabelo tem aspecto opaco e sem brilho.

Nestes casos, é recomendado realizar uma reposição lipídica para esses fios, temos um artigo que te explica tudo sobre o assunto.

Para os cabelos secos, esse reposição geralmente é feita com uma umectação capilar com óleos vegetais.

Cabelos normais

O melhor dos mundos! Aqui a produção de oleosidade é equilibrada - o suficiente para proteger, mas sem deixar aquele aspecto “sujo” e pesado.

Cabelos oleosos

Esse caso, é o oposto dos cabelos secos - as glândulas produzem óleo em excesso, e neste caso, a oleosidade no cabelo realmente não é bacana. Ela pode deixar os fios com aspecto sujo, pesado e sem movimento.

Mas calma, não se preocupe, temos várias dicas para te ajudar a mandá-la embora.

A lavagem correta faz toda a diferença

mulher lavando cabelo com oleosidade

Pode não parecer, mas muitas pessoas cometem erros na hora de lavar os fios, e tudo bem!

A questão é que a forma e os produtos com os quais você lava os cabelos influenciam na produção de oleosidade do couro cabeludo.

Vamos falar mais sobre o assunto e dar dicas preciosas para você lavar o cabelo corretamente e evitar problemas com oleosidade.

A escolha do shampoo

Antes de mais nada é importante se atentar na escolha do shampoo e se ele tem ou não sulfatos. Isso porque os sulfatos são agentes de limpeza muito potentes, que retiram toda aquela “oleosidade protetora” que citamos. E isso prejudica todos os tipos de couro cabeludo.

  • Cabelo seco: imagine que seu couro cabeludo já possui pouca oleosidade e que os sulfatos irão retirar o pouco que resta. O resultado será um cabelo ainda mais fragilizado;

  • Cabelo oleoso: muitos acreditam que os sulfatos ajudam a diminuir a oleosidade por causa da sua ação detergente, mas acontece justamente o inverso! Como toda a oleosidade é retirada, as glândulas sebáceas produzem o dobro para compensar a proteção perdida, o que é conhecido como “efeito rebote”;

  • Cabelos normais: nesse caso, os cabelos passam a ficar fracos e expostos aos agentes externos que mencionamos.

Por isso, sempre prefira o uso de shampoos sem sulfatos.

Temperatura da água

A temperatura da água para lavagem dos fios nunca pode ser quente, deve estar entre morna e fria, e o motivo você já deve imaginar: a água quente retira a proteção dos fios.

Dessa forma deixa os cabelos secos mais secos, os oleosos produzem mais oleosidade e os normais ficam mais frágeis!

Quantidade de shampoo

Sabe aquilo de “quanto mais, melhor”, isso definitivamente não se encaixa aqui! O shampoo não deve ser aplicado em grande quantidade - especialmente se conter sulfatos - pois pode acabar ressecando os fios e causando todos os efeitos citados acima.

Uma quantidade bacana é semelhante ao tamanho de uma moeda de um real, mas pode mudar dependendo do comprimento do seu cabelo.

Além disso, a aplicação deve ser feita somente no couro cabeludo e não nos fios, fique tranquila! A espuma escorre e limpa eles também.

Aplicação do condicionador

Assim como o shampoo, o condicionador tem maneira correta de ser aplicado. Passe somente nas pontas e comprimento para que os fios fiquem hidratados, brilhantes e sedosos!

Não é necessário passar condicionador na raiz, pois isso deixa o couro cabeludo “pesado” e aumenta a oleosidade - e como vimos, excesso de oleosidade, não é legal.

Cuidado com a frequência da lavagem

Muita gente pensa que cabelos oleosos devem ser lavados todos os dias para remover o excesso de óleo.

Mas isso não é verdade. Assim como lavar de menos é ruim, lavar demais também pode comprometer a saúde dos fios.

Como já dissemos, tirar toda a oleosidade do cabelo deixa o fio desprotegido e causa o efeito rebote no couro cabeludo. Recomenda-se lavar o cabelo em dias alternados.

Afinal, a oleosidade no cabelo é a vilã ou a mocinha?

A oleosidade pode sim ser prejudicial à estética dos nossos fios quando é produzida em excesso, mas é importante que você saiba que ela também é importante para a saúde dos nossos fios.

Esperamos que essas dicas te ajudem a entender um pouco melhor como ela acontece e como cuidar dos seus cabelos.

Manter estes cuidados referentes à lavagem já vai ajudar a minimizar o problema, mas se a oleosidade excessiva continuar, vale consultar um especialista, pois alguns problemas de saúde podem causar o desequilíbrio das glândulas sebáceas, como alterações hormonais, estresse, alimentação deficiente, entre outros.

Você tem cabelo oleoso? Já segue as dicas que demos aqui ou tem alguma dica extra para compartilhar com a gente? Coloca nos comentários!

Corte químico: por que acontece e como recuperar esses fios

Corte químico: por que acontece e como recuperar esses fios

Cabelos com luzes: como tratar esses fios?

Cabelos com luzes: como tratar esses fios?

Comentários

Os comentários são moderados

Empty content. Please select article to preview

Personalize seu Tratamento